domingo, 2 de maio de 2010

Dói










Antes de tudo, te amar é dolorido.
Porque é amor de quem não vive
e amor de quem não morre.
É amor estagnado,
enquanto todo mundo está
no mundo que gira, girando.

Depois de tudo, te amar é compaixão,
é permitir o romantismo, o sonho vão.
É escrever poesia sofrida,
é sentir a presença da falta,
é chegar ao cúmulo
de lembrar da poesia esquecida.

Enfim, te amar é viver vida,
que ainda que não vivida, é vida.
É pisar descalço no espinho, pegar sereno,
é roer unha, prender o cabelo.
É dia que passa todo só na cabeça.
É viver sozinha em pensamento.

Amo...
e te amar me faz bem...
porque amo te amar...
ainda que só...
no fundo da noite
e no escuro do peito.

2 comentários:

  1. "Amo...
    e te amar me faz bem...
    porque amo te amar...
    ainda que só...
    no fundo da noite
    e no escuro do peito."

    Gostei muito deste trecho, principalmente do "no fundo da noite e no escuro do peito." É a verdade de muitos.

    E eu sou fã tb da Amelie Poulain. Inesquecível!

    ResponderExcluir