sexta-feira, 23 de julho de 2010

.
.
.
(...) e disse, dobrando a esquina: "desculpe, mas você não fala a minha língua." (...)
.
.
.

6 comentários:

  1. Falamos diversas línguas diferentes, é preciso confiança para tentar entender. ^.^

    ResponderExcluir
  2. Aqui, eu falo: "Desculpa, eu não sei falar muito bem a sua língua." E todos me respondem: "Fala o que puder que eu entenderei, você está tentando falar outra e eu fiquei apenas numa."
    E, carinhosos, muitos deles, aindam tentam me ajudar numa terceira.
    E, infelizmente, cheguei a conhecer quem falasse a minha língua, mas se negou a ajudar. Gente que, com certeza, ficará por toda a vida não sabendo que o mundo se transforma quando se conjuga os verbos dar, ajudar, colaborar, participar, fazer!
    Bjs, Frô, saudades!

    ResponderExcluir
  3. "Será que um dia nos mastigarão?"

    Comentário mais lindo que você fez, Frô!
    Lindo, lindo! Obrigada pela tão constante gentileza... você é uma flor muito doce... hum! não sei não...não muito doce, às vezes, doce, quem sabe, quando permitem... flor com cheiro cítrico ou amadeirado, talvez!

    Sua frase - acima citada - veio forte no meu peito e eu pensei em escrever sobre isso. Quando estiver pronto, publicarei, com o seu devido crédito.

    Bjs!

    ResponderExcluir
  4. é vero.. não falamos a mesma língua.. encontramo-nos em outra dimensão onde não é preciso falar.. sentir é tudo. prazer em sentir e a ler ainda vou indo..

    ResponderExcluir
  5. É... sentir é a verdadeira língua.

    ResponderExcluir
  6. ahhh Gostei das coisas q vc escreve 'fulô'
    tô seguindo :D
    bjins''

    ResponderExcluir